O Supremo Tribunal de Justiça do Reino Unido vai obrigar os principais operadores de Internet do país a bloquearem o acesso dos utilizadores ao Kickass Torrent, ao H33T e ao Fenopy, três sites de partilha de ficheiros ilegais. 


A queixa foi apresentada pela Indústria Fonográfica Britânica (BPI) que recorreu à justiça por considerar que os três sítios online violavam numa escala significativa as regras dos direitos de autor. "O crescimento da música digital no Reino Unido está a ser retido por uma série de negócios ilegais que estão a explorar comercialmente a música online sem permissão", referiu o diretor executivo da BPI, Geoff Taylor.

O líder do Partido Pirata do Reino Unido, Loz Kaye, reagiu à decisão e disse que não há nada de positivo a retirar do bloqueio e que não existem provas de que prevenir o acesso a sites de pirataria, como o The Pirate Bay, trouxe algo de positivo para os artistas britânicos no ano de 2012.

A notícia avançada pela BBC refere que pouco tempo depois de ter sido decretado o bloqueio ao TPB, que recentemente deixou de ser "alimentado" na Suécia, os valores de downloads através de peer-to-peer voltaram ao "normal", isto é, os mesmo que se registavam antes do bloqueio do site.

Por outro lado um estudo da empresa de análise NPD deu indicações de que existem menos 17% de utilizadores a realizarem downloads ilegais e mais internautas a aderirem a serviços legais de acesso a conteúdos multimédia, como o Spotify, que também chegou a Portugal durante o mês de fevereiro.

No Reino Unido as ordens aos operadores de Internet para bloquearem sites de partilha de ficheiros ilegais começou em 2011 com o barramento ao Newzbin 2, seguindo-se em 2012 o bloqueio do The Pirate Bay e do Promo Bay. 

Fonte: http://tek.sapo.pt